História

Nasce LIVRE, a federação dos trabalhadores em Telecom

Em um momento histórico difícil do país, em que a ofensiva de setores ultraliberais e reacionários, após o Golpe político-jurídico-midiático contra a presidenta Dilma Rousseff, em 2016, se desdobrou no governo Temer e suas medidas antipopulares e de ataque aos direitos trabalhistas e socais; na prisão injusta do presidente Lula e na eleição, em 2018, de um candidato genocida alinhado aos setores imperialistas, rentistas e entreguistas, nasce uma nova federação de trabalhadores e trabalhadoras em Telecomunicações – a LIVRE. Uma entidade forte, independente, classista, socialista e democrática.

LIVRE é o nome da nova federação, que se estrutura para se contrapor aos velhos e ultrapassados modelos sindicais.

A cidade do Rio de Janeiro foi o cenário escolhido para a reunião que compôs uma diretoria provisória, em setembro de 2019. A Federação Livre  representa milhares de trabalhadores e trabalhadoras no Amazonas, Ceará, Espírito Santo, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rondônia.

Uma federação de verdade. Com participação efetiva dos trabalhadores e seus sindicatos. Com uma gestão moderna e democrática. Com democracia nas finanças. Com liberdade de pensamento e de expressão. Com rapidez na comunicação. Com liberdade de crítica. Com total independência em relação às empresas e aos governos.

Muitos desafios terão que ser enfrentados pela LIVRE. Hoje, o Brasil vive sob um projeto de poder obscuro, conservador e de extrema-direita, autoritário que ataca os pobres, os trabalhadores, as mulheres, os negros, os LGTBI+. Tais ataques também revelam traços fascistas em todos os segmentos da sociedade brasileira, frutos de um cruel passado escravocrata, que ainda produz enormes e inaceitáveis  desigualdades, privilégios e violências tão presentes.

A Reforma Trabalhista só fez aumentar o número de desempregados, retirou direitos, precarizou os empregos, diminuindo salários e a renda da maioria do povo. Atacaram os instrumentos de defesa dos trabalhadores, investindo para empobrecer os sindicatos e dificultar o acesso do trabalhador à Justiça do Trabalho.

Aprovaram a PEC-95, que congelou por 20 anos os recursos para a Educação, Assistência e Saúde, liberando dinheiro para pagamento da dívida pública. O resultado é o desmonte da educação pública e a piora no atendimento à Saúde. Entregaram a Petrobras, desregulamentaram o Pré-Sal, asfixiaram a indústria nacional, destruindo milhares de empresas e postos de trabalho.

A Federação nasce em plena Pandemia do Coronavírus que acometeu o planeta em 2020. O mundo deu uma reviravolta nos seus costumes. A Covid-19 chegou num pé de vento e transformou sociedades e o mundo do trabalho não escapou. Os trabalhadores tiveram de se adaptar às novas regras de segurança sem deixar de lado a atividade laboral, principalmente os/as trabalhadores nas telecomunicações.

Um desafio enorme dos dirigentes sindicais para resistir à pressão das empresas e garantir os empregos, a renda, os benefícios e a vida de teleoperadores, telefonistas e técnicos instaladores, cabistas, reparadores entre outros milhares de profissionais que mantiveram o país conectado e em isolamento social.

Julho/2020

Pin It on Pinterest

Federação Livre

Federação Livre