Notícias

Negociações Acordo Coletivo

Proposta inicial da Oi é inaceitável. Nova reunião em 1º de dezembro

25/11/2021 - 13h05 - Federação Livre - Redação

Em vez de valorizar quem até hoje deu tudo para manter a empresa no caminho certo, a primeira reunião de negociação com a operadora Oi foi uma decepção.

A empresa fez uma proposta inaceitável, diante do índice de reajustes oferecidos para meados do ano que vem e da inflação registrada até o mês de outubro: 11,08% segundo o INPC (IBGE). Além disso, a proposta não contempla adiantamento de PPR e nem ajuda de custo para o home office, principais reivindicações  dos trabalhadores e que as outras operadoras já concederam. A telerreunião aconteceu durante a manhã desta quinta-feira (25).

Os representantes da empresa discorreram sobre o cenário de transformações que a Oi vem passando e sob esses argumentos é que vieram com uma proposta muito distante das reivindicações.

Renato (Oi), Hamurabi Duarte (SInttel-CE) , Marcos Mendes  e Cintia (Oi),  Luis Antônio (SInttel-Rio) Lacy da Matta (SInttel-AM), Iara Martins (SInttel-RN), Alexandre (Oi) e Nilson Hoffmann (SInttel-ES).

O presidente da Federação LiVRE, Luiz Antônio Silva (Sinttel-Rio) fez uma defesa dos trabalhadores, pois em todo esse processo de desmonte da empresa os menos culpados são os empregados, porém, não menos prejudicados.

“A empresa está sobrevivendo devido à dedicação e o empenho das pessoas. Como uma empresa chega a uma dívida de R$67 bilhões e você não tem um culpado? Pelo contrário, todos os presidentes que passaram na empresa saíram com belíssimos bônus. Não se pode compreender isso. E os trabalhadores acabam pagando o preço: com demissão”, disse Luis.

Nesta campanha salarial a Comissão da Federação Livre e a Oi têm dois desafios: 1. Externo – que é a situação do país, com inflação alta, custo de vida muito alto, desemprego, etc.  E 2. Interno –  que são os graves problemas que a empresa tem e que sempre respinga nos empregados.

Para a Comissão de Negociação é inadmissível não ter PPR. É preciso garantir, pelo menos, um salário de bônus. O que não pode é ter uma perda salarial de 11,08% e a empresa oferecer 3,5% de reajuste em JULHO de 2022. E sem compensação.

“Entendemos toda essa questão da reestruturação, mas não concordamos. É preciso manter os benefícios reajustados e o nível salarial dos trabalhadores e trabalhadoras”, destacou  Luis Antônio.

A próxima reunião será dia 01/12, às 10 horas. Veja a proposta:

A Comissão de Negociação da Federação Livre na Oi é formada pelo coordenador Marcelo Beltrão (Secretário Geral da Federação Live e presidente do Sinttel-PE), Iara Martins (Presidenta do Sinttel-RN), Hamurabi Duarte (diretor do Sinttel-CE), Lacy da Matta (Presidenta do Sinttel-AM), Luis Antônio Silva (presidente da Federação Livre e Sinttel-Rio) e Nilson Hoffmann (diretor de Comunicação da Federação Livre e presidente do Sinttel-ES).

A Federação Livre mantém um canal de comunicação nesta campanha  livre@federacaolivre.org.br. Todas as informações e boletins informativos estarão à disposição no site e nas redes sociais

     

 

Pin It on Pinterest

Federação Livre

Federação Livre