Notícias

Negociações Acordo Coletivo

Sindicatos rejeitaram proposta da TIM e não convocarão assembleia

04/11/2021 - 23h30 - Federação Livre - Redação

Operadora divulgou como final para os empregados e empregadas sua proposta para o Acordo Coletivo, mas esqueceu de informar que foi rejeitada em mesa de negociação pelas três federações que representam os sindicatos em todo o país.

A atitude precipitada da TIM criou a expectativa nos trabalhadores de que a Federação LiVRE — que representa os sindicatos do AM,CE, ES, PE, RJ, RN E RO — iria convocar assembleia on-line de avaliação da proposta. A Comissão rejeitou a proposta porque ela é razoável para 40% dos/as empregados/as mas é extremamente  prejudicial a 60% dos demais trabalhadores/as.

No dia 26 de outubro, o coordenador da Comissão de Negociação, Nilson Hoffmann, encaminhou uma carta ao gerente de Relações Sindicais da TIM, José Luiz Froes, solicitando nova reunião, pois, segundo ele, o processo não estava concluso. A empresa não respondeu até o fechamento dessa matéria.

“Uma parte da proposta está muito aquém da reposição necessária nos salários, diante de uma inflação de 10,42% na data base; da carestia no custo de vida; do desemprego e frente aos resultados robustos da Operadora, critica Hoffmann.”

Na carta (ao lado), a Federação LiVRE enfatiza que “Diante deste cenário em que o “lucro da operadora mais que dobrou chegando a R$ 993 milhões no 3º trimestre”, acreditamos ser possível a TIM atender nosso pleito, contemplando todos os trabalhadores e trabalhadoras da empresa com a reposição integral da inflação medida no período de 10,42%”.  

Bate papo na Internet para explicar a proposta e esclarecer a categoria

Nesta 3ª feira, dia 9 de novembro, às 19 horas, a Federação Livre faz uma live para conversar com os trabalhadores sobre a estratégia da negociação. As dúvidas serão esclarecidas ao vivo. Perguntas podem se feitas pelo chat. A transmissão será pelo Facebook e YouTube da Federação Livre e na WEB TV do SinttelRio pelo YouTube.

Meta é 10,42%, sem discriminação

A proposta da TIM divide os trabalhadores. Ela oferece reajustes diferentes criando um clima muito ruim, que desvaloriza 60% dos/as empregados/as.

A operadora oferece pagamento do INPC integral, 10,42% em dezembro para o pessoal de lojas e call center. Já para os técnicos e administrativos oferece reajuste de apenas 6%  em maio de 2022. Como compensação, a proposta inclui  abono de um salário nominal em novembro de 2021 para todos/as, com teto de R$ 8 mil.

O reajuste proposto para os benefícios é outro problema: só seria realizado em maio de 2022.

A empresa ainda quer antecipar a negociação do PPR 2023, mas numa proposta que não traria benefícios.

Por esses motivos, a proposta foi recusada na telerreunião realizada no dia 25/10 e não será levada para apreciação dos trabalhadores e trabalhadoras.

 

A comissão da Federação LiVRE na TIM é composta por Nilson Hoffmann (Sinttel-ES) – Serginho (SinttelRio), João Alberto (Sinttel-CE), Gilberto Pirajá (Sinttel-RN)  e José Félix (Sinttel-PE)  e representa cerca de 4.600 trabalhadores/as na TIM dos estados do AM, CE, ES, PE, RJ, RN E RO.

A Federação Livre mantém um canal de comunicação  livre@federacaolivre.org.br. Todas as informações e boletins informativos estarão à disposição no site e nas redes sociais.

     

Pin It on Pinterest

Federação Livre

Federação Livre